facebook twitter youtube

Acesse seu produto

 
 
 
     
 

Site do Cliente


Usuário

Senha

Esqueci minha senha

Informações de acesso

------------- ou -------------

CNPJ/CPF

Código de Acesso/Email

Informações de acesso


IOB Educação
Clique aqui e confira nossos treinamentos .

Atualize-se e capacite-se com os melhores profissionais das áreas contábil e financeira, tributária fiscal, trabalhista e jurídica.

Soluções Fiscais

Conheça as Soluções Fiscais da IOB Folhamatic, uma linha de produtos e serviços que garante conformidade e segurança no SPED.


Clique aqui e confira!
 
Líder em softwares de gestão de tesouraria para médias e grandes empresas.

Clique aqui e conheça!

 
CONTÁBIL Voltar
   
Envie essa notícia para um amigo.
 
Contabilidade - Critérios gerais de escrituração

Publicado em 25/08/2005 09:09

Conforme dispõem as Resoluções CFC nº 563/1983 e nº 848/1999, a escrituração deve ser executada:

a) em idioma e moeda corrente nacionais;

b) em forma contábil;

c) em ordem cronológica de dia, mês e ano;

d) sem espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras, emendas ou transporte para as margens;

e) com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos que comprovem ou evidenciem os fatos e a prática de atos administrativos.

A terminologia utilizada deve expressar o verdadeiro significado das transações.

É admitido o uso de códigos e/ou abreviaturas nos históricos dos lançamentos, desde que permanentes e uniformes. Nesse caso, deverá constar do livro Diário ou de registro especial revestido das formalidades extrínsecas, elenco identificador dos códigos/abreviaturas.

Cabe assinalar que, de acordo com a legislação tributária (RIR/1999, art. 269, § 1º, e Parecer Normativo CST nº 11/1985, item 7), as pessoas jurídicas que adotarem escrituração contábil codificada ou códigos e/ou abreviaturas nos históricos dos lançamentos ficam obrigadas à adoção de livro próprio, revestido das formalidades legais, que contenha a descrição das contas e dos códigos correspondentes, que poderá ser:

a) o próprio livro Diário, que deverá conter necessariamente, no encerramento de cada período-base, a transcrição das demonstrações financeiras, para as empresas que empreguem escrituração manual;

b) o mesmo livro específico que for adotado para inscrição das demonstrações financeiras, no caso das empresas que utilizam o sistema de escrituração mecanizada/maquinizada ou sistema de processamento eletrônico de dados, com emprego de fichas soltas ou formulários contínuos, que não incluam, como fecho do conjunto, as demonstrações financeiras;

c) o próprio conjunto das fichas ou formulários contínuos, no caso das empresas com sistema de escrituração mecanizada/maquinizada ou por meio de processamento eletrônico de dados, cujo conjunto de fichas ou formulários contínuos contenha inscritas as demonstrações financeiras.

Alternativamente, para as empresas em geral, qualquer que seja o seu enquadramento nas letras acima, é admitida como meio de comprovação hábil, perante a legislação do Imposto de Renda, a adoção de livro distinto dos mencionados, quando utilizado para registro do plano de contas e/ou históricos codificados, desde que revestido das formalidades legais.

(Arts. 269, 270 e 923 do RIR/1999; PN CST nº 347/1970 e art. 1.183 da Lei nº 10.406/2002)

   
 
 
  Voltar     Veja mais notícias
 
Informação Importante
SEFAZ PAULISTA DESCONTINUARÁ EMISSORES GRATUITOS DE NF-e e CT-e a partir de 2017
Conheça nosso
emissor de NF-e
Faça um teste Grátis
Cartilhas IOB
» Cartilha do Imposto
   de Renda 2016
» Cartilhas eSocial
» Cartilha da Emenda
   Constitucional 2015
» Cartilha da ECD
» Cartilha da ECF
» Substituição Tributária:
O que o contador precisa saber?
Agende uma visita
Quer receber uma visita comercial para conhecer nossos produtos e serviços?
 
ISSQN      
Legislação Municipal é com a IOB.
 
Newsletter
Receba diariamente em seu e-mail as notícias mais relevantes do meio regulatório.
         
 
 
© SAGE (BR) Limited